segunda-feira, 29 de agosto de 2016

A FAMÍLIA DO FILHO PRÓDIGO

Texto (Lucas 15.11-32) Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos.   
12 O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois, os seus haveres.   
13 Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.   
14 E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades. 
15 Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos.   
16 E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava nada.   
17 Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!   
18 Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti;   
19 já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados.   
20 Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.   
21 Disse-lhe o filho: Pai, pequei conta o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. 
22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e alparcas nos pés; 
23 trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos,   
24 porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a regozijar-se.
25 Ora, o seu filho mais velho estava no campo; e quando voltava, ao aproximar-se de casa, ouviu a música e as danças;   
26 e chegando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo.   
27 Respondeu-lhe este: Chegou teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo.  
28 Mas ele se indignou e não queria entrar. Saiu então o pai e instava com ele.
29 Ele, porém, respondeu ao pai: Eis que há tantos anos te sirvo, e nunca transgredi um mandamento teu; contudo nunca me deste um cabrito para eu me regozijar com os meus amigos;   
30 vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado.   
31 Replicou-lhe o pai: Filho, tu sempre estás comigo, e tudo o que é meu é teu;  
32 era justo, porém, regozijarmo-nos e alegramo-nos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado.

Introdução

A família do filho pródigo experimenta uma grande crise. O pai faz uma leitura positiva da crise que estava vivendo; ele não se deixou perder com as perdas que estava sofrendo.

O que podemos aprender com esse pai, com esse filho, com essa família? Vermos nesta mensagem lições importantes para vencermos nos tempos de crise.

Primeiro Lição

NEM TUDO NA FAMÍLIA SAI COMO NÓS PLANEJAMOS, APESAR DE TUDO O QUE FAZEMOS.

O filho pródigo tinha tudo para ficar; o seu pai era um ótimo pai. (Ele representa o próprio Deus na parábola).
Por melhor que façamos, isso não elimina o direito de escolha, livre-arbítrio de cada um (inclusive na família).

Segunda Lição

FAÇA SEMPRE O MELHOR PARA AMANHÃ NÃO SOFRE COM A DOR DA CULPA, DO REMORSO, DO ARREPENDIMENTO

O pai podia sofrer a dor da separação, da perda, da saudade, mas não com a dor da culpa.

Faça o melhor para todos em sua família. O filho pródigo desistiu do pai, mas o pai nunca desistiu do filho.

Terceiro Lição

EM TEMPO DE CRISE NÃO DEIXE SATANÁS FECHAR NA SUA CASA A PORTA DA RECONCILIAÇÃO

O pai deixou a porta aberta para o filho; não o ameaçou: “se sair por esta porta, não volte mais”! O milagre passa pela porta da reconciliação.

Quarta Lição

O QUE O PAI DO FILHO PRÓDIGO TERIA A DIZER A NÓS PARA VENCERMOS EM TEMPOS DE CRISE FAMILIAR?

1 - Nunca deixe morrer a esperança (sonhos) dentro do seu coração!
O pai não perdeu a esperança de ver o filho voltar; ele não saia da varanda esperando o filho; talvez tenha comprado o vestido, o anel, conservado a sandália e cevado o bezerro, pois tinha esperança de que o filho haveria de voltar! Não deixe seus sonhos (quanto à família) morrerem!

2. Construa um ambiente marcado pela Graça (tratar o outro de uma forma que ele não merece).

Todas as ações do pai foram manifestações da graça:

1 - Em sua reação quando o filho lhe pediu a sua parte na herança (e o que isso significava – o pai dá 1/3 da fortuna para um filho que desejava sua morte)!


2 - Quando o filho volta maltrapilho, sem dinheiro, o pai vai ao seu encontro; não o reprova; não lhe cobra o dinheiro; não lhe joga nada na cara; o Pai o abraça e o perdoa; coloca-lhe o vestido, o anel, a sandália, manda preparar o bezerro.

3 - O pai vai ao encontro do irmão do filho pródigo, ouve-o! Será que não está faltando graça em nossas casas? Relacionamentos vêm antes de regras; quando falta graça invertemos a ordem de prioridades! Quando falta graça a indiferença petrifica o coração da família.
Quando falta graça construímos mais paredes que separam do que pontes que unem!
Quando falta graça todo estrutura rígida quebra com facilidade. Jesus veio em graça e verdade.

Quinta Lição

O QUE O FILHO PRÓDIGO TERIA A NOS DIZER DEPOIS DE SUAS EXPERIÊNCIAS?

1 - Cuidado com suas decisões em tempo de crise porque se você decidir errado seu fim vai ser entre os porcos. (“Não se precipite”).

2 - Saiba sair, porque eu saí da forma errada, na hora errada, me envolvi com pessoas erradas e fui parar no lugar errado.

Casamento é permanente; filhos são temporários. Sair com a benção de Deus; exemplo de Rebeca quando saiu de casa para se casar com Isaque!

3 - Não deixe para dar valor para sua família quando você estiver entre os porcos ou no inferno.

Exemplo do Rico e Lázaro. O rico só se lembrou de seus irmãos quando já estava no inferno.

4 - Ainda que você tenha decidido errado e perdeu absolutamente tudo, nunca é tarde para dizer: “Levantar-me-ei e irei ter com meu pai …” Você pode ter tudo o que perdeu se houver arrependimento genuíno!

Conclusão

Nesta mensagem aprendemos:

1 - Que nem tudo na família sai como nós planejamos, apesar de tudo que fazemos.

2 - Que devemos fazer sempre o melhor, para amanhã não sofremos com a dor da culpa, a dor do remorso, e a dor do arrependimento.

3 - Em tempos de crise não deixe Satanás fechar na sua casa as portas da reconciliação.

Outro ponto importante foi o que aprendemos com as atitudes do pai do filho pródigo.

1 - Nunca deixe morrer a esperança (sonhos) dentro do seu coração!
Não deixe seus sonhos (quanto à família) morrerem!

2. Construa um ambiente marcado pela graça.

Todas as ações do pai foram manifestações da graça:

Já com as atitudes do filho pródigo, aprendemos que devemos termos cuidado com nossas decisões em tempos de crise. 


Não devemos nos precipitar para não tomarmos decisões erradas em nossas vidas. Devemos sempre dar valor para a nossa família, pois ela está “EM PRIMEIRO LUGAR!”. 

Mais se por um a caso, tomarmos um decisão errada e perdemos absolutamente tudo, nunca é tarde para dizermos: [“... LEVANTAR-ME-EI E IREI TER COM MEU PAI...”] Você pode ter tudo o que perdeu se houver arrependimento genuíno!

Esboço baseado em mensagem pregada pelo Pr. Josué Gonçalves.
Fonte de pesquisa:http://goo.gl/XbKokv


Nenhum comentário:

Postar um comentário