sábado, 27 de agosto de 2016

DEUS ABRE AS PORTAS DA PRISÃO

Texto (Atos 16.16-40) Ora, aconteceu que quando íamos ao lugar de oração, nos veio ao encontro uma jovem que tinha um espírito adivinhador, e que, adivinhando, dava grande lucro a seus senhores.
   
17 Ela, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: São servos do Deus Altíssimo estes homens que vos anunciam um caminho de salvação. 
  
18 E fazia isto por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou- se e disse ao espírito: Eu te ordeno em nome de Jesus Cristo que saias dela. E na mesma hora saiu. 
  
19 Ora, vendo seus senhores que a esperança do seu lucro havia desaparecido, prenderam a Paulo e Silas, e os arrastaram para uma praça à presença dos magistrados. 
  
20 E, apresentando-os aos magistrados, disseram: Estes homens, sendo judeus, estão perturbando muito a nossa cidade.
   
21 e pregam costumes que não nos é lícito receber nem praticar, sendo nós romanos.
   
22 A multidão levantou-se à uma contra eles, e os magistrados, rasgando-lhes os vestidos, mandaram açoitá-los com varas.
   
23 E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança. 
  
24 Ele, tendo recebido tal ordem, os lançou na prisão interior e lhes segurou os pés no tronco. 

25 Pela meia-noite Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, enquanto os presos os escutavam.   

26 De repente houve um tão grande terremoto que foram abalados os alicerces do cárcere, e logo se abriram todas as portas e foram soltos os grilhões de todos.
   
27 Ora, o carcereiro, tendo acordado e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada e ia suicidar-se, supondo que os presos tivessem fugido. 
  
28 Mas Paulo bradou em alta voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, porque todos aqui estamos. 
  
29 Tendo ele pedido luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas 

30 e, tirando-os para fora, disse: Senhores, que me é necessário fazer para me salvar?   

31 Responderam eles: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. 

32 Então lhe pregaram a palavra de Deus, e a todos os que estavam em sua casa. 

33 Tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou- lhes as feridas; e logo foi batizado, ele e todos os seus. 

34 Então os fez subir para sua casa, pôs-lhes a mesa e alegrou- se muito com toda a sua casa, por ter crido em Deus. 

35 Quando amanheceu, os magistrados mandaram quadrilheiros a dizer: Soltai aqueles homens. 
  
36 E o carcereiro transmitiu a Paulo estas palavras, dizendo: Os magistrados mandaram que fosseis soltos; agora, pois, saí e ide em paz.   

37 Mas Paulo respondeu-lhes: Açoitaram-nos publicamente sem sermos condenados, sendo cidadãos romanos, e nos lançaram na prisão, e agora encobertamente nos lançam fora? De modo nenhum será assim; mas venham eles mesmos e nos tirem. 
  
38 E os quadrilheiros foram dizer aos magistrados estas palavras, e estes temeram quando ouviram que eles eram romanos; 

39 vieram, pediram-lhes desculpas e, tirando-os para fora, rogavam que se retirassem da cidade. 
  
40 Então eles saíram da prisão, entraram em casa de Lídia, e, vendo os irmãos, os confortaram, e partiram.

Introdução

Elucidar o contexto dos acontecimentos (v.16-24) chegada da equipe missionária a Filipos, a cura da jovem com espírito de adivinhação, a reação dos seus donos e de toda a cidade, a reação das autoridades, os açoites e a prisão de Paulo e Silas (imaginar o sofrimento físico ao qual foram submetidos). Todavia, Deus lhes abriu as portas da prisão!

Transição

Deus é poderoso para abrir as portas nos momentos mais difíceis e críticos da nossa existência, inclusive em momentos de ‘prisão’. 

O texto nos mostra alguns ensinamentos sobre as aberturas das portas de Deus em nossas vidas.
Primeiro

DEUS ABRE PORTAS QUANDO ORAMOS E ADORAMOS A DEUS, E TESTEMUNHAMOS, MESMO NAS CIRCUNSTÂNCIAS MAIS ADVERSAS

(V.25) Pela meia-noite Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, enquanto os presos os escutavam.

Elucidar a situação de Paulo e Silas. Eles haviam sido açoitados, presos no cárcere interior, os pés presos a um tronco. Não reclamaram, não murmuraram, não se acusaram mutuamente, não se “REVOLTARAM” contra Deus, já que foram presos fazendo a Sua obra. Por volta da “MEIA NOITE”, ou seja, no momento de intensas trevas, eles oravam e adoravam! E esta atitude deles servia de testemunho aos outros presos que se encontravam naquele cárcere. A atitude deles foi determinante para que Deus lhes abrisse as portas da prisão.

Qual tem sido nossa reação quando passamos por momentos de prisão em nossas vidas? Reclamamos, murmuramos, arrumamos um culpado? Nos “REVOLTAMOS” contra Deus? Ou oramos e adoramos, dando assim um bom testemunho aos que nos cercam?

Segundo

DEUS ABRE PORTAS PARA QUE LIVREMOS DA MORTE AQUELES QUE ESTÃO PRESTES A SE PERDER

(V.27-29) Ora, o carcereiro, tendo acordado e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada e ia suicidar-se, supondo que os presos tivessem fugido. 
  
28 Mas Paulo bradou em alta voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, porque todos aqui estamos. 
  
29 Tendo ele pedido luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas.

Em seu desespero o carcereiro estava prestes a tirar a própria vida. Paulo percebe a situação e exorta-o a não fazer tal coisa. Deus nos abrirá portas, ou já nos tem aberto portas, para que sejamos seus instrumentos para livrar pessoas da morte, seja literal, seja espiritual, familiar, etc.

Uma palavra, um olhar, um pequeno gesto podem fazer a diferença na vida de alguém em desespero. Deus abrirá portas em nossas vidas, ou já nos tem aberto portas, para que possamos trazer equilíbrio para alguém em desespero.

(Pv.24.11,12) Livra os que estão sendo levados à morte, detém os que vão tropeçando para a matança.
   
12 Se disseres: Eis que não o sabemos; porventura aquele que pesa os corações não o percebe? e aquele que guarda a tua vida não o sabe? e não retribuirá a cada um conforme a sua obra? Nós temos nos colocado como instrumentos do Senhor para livrar aqueles que estão sendo levados para a morte?

Terceiro

DEUS ABRE PORTAS PARA QUE ANUNCIEMOS A PALAVRA DE DEUS ÀQUELES QUE AINDA NÃO CONHECEM A SALVAÇÃO QUE HÁ EM CRISTO JESUS.

(V.30-34) e, tirando-os para fora, disse: Senhores, que me é necessário fazer para me salvar?   

31 Responderam eles: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. 

32 Então lhe pregaram a palavra de Deus, e a todos os que estavam em sua casa. 

33 Tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou- lhes as feridas; e logo foi batizado, ele e todos os seus. 

34 Então os fez subir para sua casa, pôs-lhes a mesa e alegrou- se muito com toda a sua casa, por ter crido em Deus.

Paulo e Silas anunciaram a mensagem de salvação para o carcereiro. Deus nos abrirá portas, ou já nos tem aberto portas que nos trarão oportunidades para pregar o evangelho àqueles que o precisam ouvir. Devemos estar atentos às oportunidades de falar do amor de Cristo.

Não podemos falar de Cristo a todas as pessoas, mas talvez somente nós teremos acesso de falar às pessoas com as quais estamos convivendo em nosso trabalho, escola, vizinhança, etc. 

Devemos nos entender como missionários no lugar onde Deus nos colocou, naquela porta que Ele nos abriu ou abrirá. Devemos usar nossa atividade profissional como um instrumento para alcançar vidas com o evangelho.

Deus pode nos levar a pregar o evangelho para pessoas que nos prejudicaram! Paulo e Silas haviam sido colocados no cárcere interior pelo carcereiro, mas não deixaram de lhe anunciar a Cristo quando tiveram a oportunidade! Jonas tentou fugir e não pregar aos ninivitas, que eram grandes inimigos dos judeus. Não queria ver os seus inimigos salvos! E se Deus o levar a pregar a alguém que lhe prejudicou? Você obedeceria? Imitaria a Paulo ou a Jonas?

Devemos buscar alcançar toda a família daquele a quem estamos evangelizando. Paulo e Silas alcançaram toda a família do carcereiro.
Devemos levar os que evangelizamos à integração, pelo batismo (v. 33) e à comunhão (v. 34). Temos aproveitado as portas que Deus tem nos aberto para falar do amor de Cristo?

Quarto

DEUS ABRE PORTAS PARA NOS HONRAR DIANTE DAQUELES QUE NOS NEGARAM DIREITOS E NOS HUMILHARAM E PRENDERAM INJUSTAMENTE

(V. 35-40) Quando amanheceu, os magistrados mandaram quadrilheiros a dizer: Soltai aqueles homens. 
  
36 E o carcereiro transmitiu a Paulo estas palavras, dizendo: Os magistrados mandaram que fosseis soltos; agora, pois, saí e ide em paz.   

37 Mas Paulo respondeu-lhes: Açoitaram-nos publicamente sem sermos condenados, sendo cidadãos romanos, e nos lançaram na prisão, e agora encobertamente nos lançam fora? De modo nenhum será assim; mas venham eles mesmos e nos tirem. 
  
38 E os quadrilheiros foram dizer aos magistrados estas palavras, e estes temeram quando ouviram que eles eram romanos; 

39 vieram, pediram-lhes desculpas e, tirando-os para fora, rogavam que se retirassem da cidade. 
  
40 Então eles saíram da prisão, entraram em casa de Lídia, e, vendo os irmãos, os confortaram, e partiram.

Por serem cidadãos romanos, Paulo e Silas tiveram os seus direitos negados. Foram humilhados publicamente através dos açoites e presos injustamente, sem ter havido um processo formal contra eles.

Depois as autoridades romanas quiseram soltá-los, mas eles não aceitaram serem soltos sem que houvesse desculpas formais.

Certas atitudes de outras pessoas podem ferir nossos direitos, nos humilhar publicamente e até nos ‘prender’ por determinados períodos a uma situação de desemprego, baixa autoestima, mágoa, ressentimento, etc, embora não devamos dar lugar a estes sentimentos negativos.

Deus abre portas para nos honrar. Abriu as portas do cárcere de Paulo e Silas para honrá-los diante das autoridades romanas que os tinham injustiçado. Todavia, quando Deus nos honrar não significa necessariamente a aniquilação daqueles que nos prejudicaram.

A vingança não pertence a nós, pertence ao Senhor. (Rm 12.19) Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira de Deus, porque está escrito: Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor.    Ele sabe a maneira e a dose certa de tratar a cada um. Se nós fossemos nos vingar a nós mesmos, erraríamos na maneira e na dose. Deixemos isso nas mãos de Deus.

Conclusão

Deus é poderoso para abrir as portas nos momentos mais difíceis e críticos da nossa existência, inclusive em momentos de ‘prisão’. Aprendemos nesta mensagem a abertura de algumas portas. E quais foram esta portas?

1 – Deus abre portas quando oramos e adoramos a Deus, e testemunhamos, mesmo nas circunstâncias mais adversas.

2 – Deus abre portas para que livremos da morte aqueles que estão prestes a se perder.

3 – Deus abre portas para que anunciemos a Palavra de Deus àquele que ainda não conhecem a salvação que há em Cristo Jesus.

4 – Deus abre portas para nos honrar diante daqueles que nos negaram direitos e nos humilharam e prenderam injustamente.

Pr. Ronaldo Guedes Beserra
Fonte de pesquisa: http://goo.gl/cnUmt7





Nenhum comentário:

Postar um comentário